terça-feira, 31 de março de 2015

Quando o Palhaço Chora


Enquanto o Palhaço Só Chora



Sou protagonista da tragédia, sem chance pra escapar


Um pesadelo que nunca vai acabar
Sobre a sombra do onipotente
Altíssimo, onde nem mesmo a fé de Jó, foi suficiente
Pro final atípico, longe dos grito, no desespero, medo
Socorro!
Me acorda desse pesadelo loko
Cansei de ter que ser forte, mentir pro espelho
Pior é por a cabeça no travesseiro
Pior não é saber que nada vai dar certo em alguns instantes
É saber que nunca vai ser como antes
Quando o perdão não trás de volta o sorriso desfigurado
Quando não há consolo pro erro do lado
Quando o sonho é nascer de novo
Pra tentar de novo, quando não existe mais sonho
A solidão na multidão, tudo é sem sentido
Acordado na escuridão quando todos estão dormindo
Em conflito com o instinto emotivo, não
Não, não posso perder a razão
Acostumado com a tristeza e a incerteza da melhora
Agradece, enquanto o palhaço só chora

Quero fugir daqui, quero fugir daqui, quero fugir daqui
Agradece enquanto o palhaço só chora

Sei quanto à desgraça é dolorosa
Pensar, pensar, pensar e não achar resposta
Ignorância, julga sem conhecimento
Então me deixa interpretar meu sentimentos
Porra, to morrendo de saudade irmão
E não é no sentido abstrato não
Coração pesado, Jão, nó na garganta
Vendo na morte o fim da dor da insegurança
Sem proteção na fé, sem fé nas proteção
Retaliado por recordação
Mó receio de olhar pro chão, pra não lembrar
Sentindo a presença do mau no ar
Qual será o meu destino? Foda-se, já não importa
Tudo acaba decomposto entre os vermes e as rosas
E foda-se sonhos, planos, quanto alguém suou na caminhada
O fim de tudo é nada, o fim de tudo é nada!
Como eu queria acreditar que fosse só revolta
Que o sorriso que cê levou o tempo trás de volta
Esquecer que a falta é pra sempre, ninguém entende
Felicidade a gente só descobre quando vê
Que nunca mais vai ser possível viver
Por que, entender tanto faz sofrer?
Quero aprender a amar, a vida antes do próximo
Antes que o amor vira ódio, antes do surto psicótico
Antes que seja tarde e não reste mais nada
A saudade que não se mata, mata