terça-feira, 12 de maio de 2015



Saber Voar - Chimarruts

Falar.....(falar)
Que bom quando é pra ti...
Sonhar.......(sonhar)
Faz a vida mais feliz
E as estrelas que não posso tocar
Estão tão perto, estão no teu olhar

Cantar .....(Cantar)
Que bom quando é pra ti...
Ver teu sorriso também me faz sorrir
Ó estrela não deixe de brilhar
Mesmo que tão longe sei que ela está lá

Mesmo que eu não te veja
Posso sentir quando pensa em mim
É como não ver o sol 
Mas ter certeza que está lá
Transformando a noite em dia
Tristezas em alegria
E aquilo que era vazio
Foi embora pra não voltar mais

Queria saber voar 
Pra lá do alto poder ver você
Te ver sorrir, te ver sonhar
Coisas lindas quero te dizer
se um anjo encontrar
Eu vou pedir pra ele te proteger
Ó estrela que me faz enxergar
Que a vida é linda de viver



Telhados De Paris

Nei Lisboa

Venta
Ali se vê
Onde o arvoredo inventa um ballet
Enquanto invento aqui pra mim
Um silêncio sem fim
Deixando a rima assim
Sem mágoas, sem nada
Só uma janela em cruz
E uma paisagem tão comum
Telhados de Paris
Em casas velhas, mudas
Em blocos que o engano fez aqui
Mas tem no outono uma luz
Que acaricia essa dureza cor de giz
Que mora ao lado e mais parece outro país
Que me estranha mas não sabe se é feliz
E não entende quando eu grito
O tempo se foi
Há tempos que eu já desisti
Dos planos daquele assalto
E de versos retos, corretos
O resto da paixão, reguei
Vai servir pra nós
O doce da loucura é teu, é meu
Pra usar à sós
Eu tenho os olhos doidos, doidos, já vi
Meus olhos doidos, doidos, são doidos por ti

sexta-feira, 3 de abril de 2015



Hells Bells - ACDC


I'm a rolling thunder, a pouring rain
I'm comin' on like a hurricane
My lightning's flashing across the sky
You're only young but you're gonna die
I won't take no prisoners, won't spare no lives
Nobody's putting up a fight
I got my bell, I'm gonna take you to hell
I'm gonna get you, Satan get you

Hell's Bells
Yeah, Hell's Bells
You got me ringing Hell's Bells
My temperature's high, Hell's Bells

I'll give you black sensations up and down your spine
If you're into evil you're a friend of mine
See my white light flashing as I split the night
'Cause if god's on the left, then I'm stickin' to the right
I won't take no prisoners, won't spare no lives
Nobody's puttin' up a fight
I got my bell, I'm gonna take you to hell
I'm gonna get you, Satan get you

Hell's Bells
Yeah, Hell's Bells
You got me ringing Hell's Bells
My temperature's high, Hell's Bells

Yeow
Hell's Bells, Satan's comin' to you
Hell's Bells, he's ringing them now
Hell's Bells, the temperature's high
Hell's Bells, across the sky
Hell's Bells, they're takin' you down
Hell's Bells, they're draggin' you under
Hell's Bells, gonna split the night
Hell's Bells, there's no way to fight, yeah

Ow, ow, ow, ow





Geração Coca-Cola

Legião Urbana




Quando nascemos fomos programados
A receber o que vocês
Nos empurraram com os enlatados
Dos U.S.A., de 9 às 6

Desde pequenos nós comemos lixo
Comercial e industrial
Mas agora chegou nossa vez
Vamos cuspir de volta o lixo em cima de vocês

Somos os filhos da revolução
Somos burgueses sem religião
Somos o futuro da nação
Geração Coca-Cola

Depois de 20 anos na escola
Não é difícil aprender
Todas as manhas do seu jogo sujo
Não é assim que tem que ser

Vamos fazer nosso dever de casa
E aí então vocês vão ver
Suas crianças derrubando reis
Fazer comédia no cinema com as suas leis

Somos os filhos da revolução
Somos burgueses sem religião
Somos o futuro da nação
Geração Coca-Cola
Geração Coca-Cola
Geração Coca-Cola
Geração Coca-Cola

Depois de 20 anos na escola
Não é difícil aprender
Todas as manhas do seu jogo sujo
Não é assim que tem que ser

Vamos fazer nosso dever de casa
E aí então vocês vão ver
Suas crianças derrubando reis
Fazer comédia no cinema com as suas leis

Somos os filhos da revolução
Somos burgueses sem religião
Somos o futuro da nação
Geração Coca-cola
Geração Coca-cola
Geração Coca-cola
Geração Coca-cola

Identifique-se


terça-feira, 31 de março de 2015

Sem Apologia

(Fotografia feita no Brik da Redenção em Porto Alegre, RS)


Sem apologia à empáfia, é preferível mil vezes nos depararmos com um arrogante ressaltando suas virtudes do que um falso modesto se fingindo de humilde.

Quando o Palhaço Chora


Enquanto o Palhaço Só Chora



Sou protagonista da tragédia, sem chance pra escapar


Um pesadelo que nunca vai acabar
Sobre a sombra do onipotente
Altíssimo, onde nem mesmo a fé de Jó, foi suficiente
Pro final atípico, longe dos grito, no desespero, medo
Socorro!
Me acorda desse pesadelo loko
Cansei de ter que ser forte, mentir pro espelho
Pior é por a cabeça no travesseiro
Pior não é saber que nada vai dar certo em alguns instantes
É saber que nunca vai ser como antes
Quando o perdão não trás de volta o sorriso desfigurado
Quando não há consolo pro erro do lado
Quando o sonho é nascer de novo
Pra tentar de novo, quando não existe mais sonho
A solidão na multidão, tudo é sem sentido
Acordado na escuridão quando todos estão dormindo
Em conflito com o instinto emotivo, não
Não, não posso perder a razão
Acostumado com a tristeza e a incerteza da melhora
Agradece, enquanto o palhaço só chora

Quero fugir daqui, quero fugir daqui, quero fugir daqui
Agradece enquanto o palhaço só chora

Sei quanto à desgraça é dolorosa
Pensar, pensar, pensar e não achar resposta
Ignorância, julga sem conhecimento
Então me deixa interpretar meu sentimentos
Porra, to morrendo de saudade irmão
E não é no sentido abstrato não
Coração pesado, Jão, nó na garganta
Vendo na morte o fim da dor da insegurança
Sem proteção na fé, sem fé nas proteção
Retaliado por recordação
Mó receio de olhar pro chão, pra não lembrar
Sentindo a presença do mau no ar
Qual será o meu destino? Foda-se, já não importa
Tudo acaba decomposto entre os vermes e as rosas
E foda-se sonhos, planos, quanto alguém suou na caminhada
O fim de tudo é nada, o fim de tudo é nada!
Como eu queria acreditar que fosse só revolta
Que o sorriso que cê levou o tempo trás de volta
Esquecer que a falta é pra sempre, ninguém entende
Felicidade a gente só descobre quando vê
Que nunca mais vai ser possível viver
Por que, entender tanto faz sofrer?
Quero aprender a amar, a vida antes do próximo
Antes que o amor vira ódio, antes do surto psicótico
Antes que seja tarde e não reste mais nada
A saudade que não se mata, mata




Por do Sol no Guaíba - Porto Alegre (Porto dos Casais), RS



Beira Rio

Arde uma cidade como um sol de fim de tarde quando abraça e beija a beira de um rio.

Cio de um céu em brasa, pura eletricidade, liga a chave
O olho brilha, atiça o fogo e o fogo acende o pavio.

Porto é uma miragem de Jerônimo de Ornellas
Lá no morro meio Fool on the Hill...
Vi a mão de Deus, de água, delta ou estuário
Uma lagoa, uma viagem, um delírio
A mão de Deus é um rio, é um rio.

Beira-rio rio, rio, Beira-rio rio, rio. Beira-rio.

E Platão dizia que o mar corrói a alma e o caráter de maneira sutil.
Bom é um pouco d'água, 
Mississipi, De La Plata,
Tietê, Guaíba, Hudson
E Reno e Sena e todos os rios...

Porto é uma cidade que tem personalidade e é Alegre por direito civil
Me liga mais tarde, vou ficar tomando um mate
Lendo a Zero enquanto espero o fim do pôr-do-sol
Na beira do rio, do rio, do rio...

Beira-rio rio, rio, Beira-rio rio, rio. Beira-rio.

terça-feira, 24 de março de 2015


Amor de Coruja é assim
Nunca adormece, só fechas os olhos pra pensar
Abre asas, vigia, conforta cada desatino
Em leves penas o julgamento
Culpado eu por gostar tanto de ti feito um menino
Woolov

"Jogue suas mãos para o céu
Agradeça se acaso tiver
Alguém que você gostaria que
Estivesse sempre com você
Na rua, na chuva, na fazenda
Ou numa casinha de sapê"

"Se as portas da percepção estivessem limpas, tudo apareceria para o homem tal como é: infinito." - William Blake

sábado, 19 de abril de 2014

terça-feira, 1 de outubro de 2013



Born To Be Wild

Get your motor running
Head out on the highway
Looking for adventure
In whatever comes my way

Yeah, darling, gonna make it happen
Take the world in a love embrace
Fire all of your guns at once and
Explode into space

I like smoke and lightning
Heavy metal thunder
Racing with the wind
And the feeling that I'm under

Yeah, darling, gonna make it happen
Take the world in a love embrace
Fire all of your guns at once and
Explode into space

Like a true nature's child
We were born, born to be wild
We can climb so high
We never want to die

Born to be wild
Born to be wild

Get your motor running
Head out on the highway
Lookin' for adventure
In whatever comes our way

Yeah, darling, gonna make it happen
Take the world in a love embrace
Fire all of your guns at once and
Explode into space

Like a true nature's child
We were born, born to be wild
We have climbed so high
We never want to die

Born to be wild
Born to be wild


segunda-feira, 12 de agosto de 2013

O Descanso do Laçador


Oração do Laçador

É maravilhoso Senhor, ter braços e mãos perfeitas para segurar o laço, a armada e as rodilhas, quando há tantos mutilados.Obrigado meu Pai, pela visão perfeita que enxerga o boi correr rumo ao brete final, quando há tantos que perderam a luz. Agradeço meu Deus, pela minha voz que pede a solta, quando tantos emudeceram. Deus onipotente e eterno, obrigado pelas minhas pernas que afirmam nos arreios a vida, quando tantos não tiveram a vitória de ter pernas perfeitas. Generoso Cristo, agradeço-lhe por todas as refeições festeiras, quando tantos não tem um pedaço de pão para saciar a fome. Deus eterno, obrigado, por laçar, por sorrir, sonhar e dançar numa festa, quando tantos se odeiam e fazem guerra. Santíssima Trindade, agradeço-te por aceitar a derrota de cabeça erguida, contente e sorrindo, quando tantos não souberam perder. Digo amém Senhor por tudo que tens feito na minha vida . AMÉM

quarta-feira, 31 de julho de 2013

Send In The Clowns



INSCRIÇÃO PARA UM PORTÃO DE CEMITÉRIO


Na mesma pedra se encontram,
Conforme o povo traduz,
Quando se nasce - uma estrela,
Quando se morre - uma cruz.
Mas quantos que aqui repousam
Hão de emendar-nos assim:
"Ponham-me a cruz no princípio...
E a luz da estrela no fim!"
Mario Quintana

quarta-feira, 3 de abril de 2013

"Pra Não Dizer que não Falei das Flores"


Caminhando e cantando e seguindo a canção
Somos todos iguais braços dados ou não
Nas escolas nas ruas, campos, construções
Caminhando e cantado e seguindo a canção

Então, vem vamos embora que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora e não espera acontecer

Pelos campos a fome em grandes plantações
Pelas ruas marchando indecisos cordões
Ainda fazem da flor seu mais forte refrão
E acreditam nas flores vencendo o canhão

Então, vem vamos embora que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora não espera acontecer

Há soldados armados, amados ou não
Quase todos perdidos de armas na mão
Nos quartéis lhes ensinam uma antiga lição: de morrer pela pátria e viver sem razão

Então, vem vamos embora que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora não espera acontecer 

Nas escolas, nas ruas, campos, construções
Somos todos soldados, armados ou não
Caminhando e cantando e seguindo a canção
Somos todos iguais, braços dados ou não
Os amores na mente, as flores no chão
A certeza na frente, a história na mão
Caminhando e cantando e seguindo a canção
Aprendendo e ensinando uma nova lição

Então, vem vamos embora que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora não espera acontecer 

domingo, 17 de fevereiro de 2013

Fazendo Amizade

Foi um encontro inusitado, estávamos saindo hotel para admirar o mar à noite e encontramos este ser de quatro patas, apresentava um expressão triste em seus olhos e repousava na calçada defronte à portaria. Podia-se crer que estava machucada, mas não, apenas repousava. Ao conversarmos com ela a primeira reação que teve foi de oferecer sua pata como se nos saudasse. Foi uma amizade instantânea.


segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Telefones que Tocam.....

Hoje quando abri meu blog tinha uma intenção diferente, mas preferi escrever apenas em alto contraste, sinal  de respeito, mas principalmente consternação pelas famílias que sofrem em Santa Maria, cidade vizinha a minha, mas que pela qual sempre declarei um incondicional amor.
Estou de LUTO, não por ter perdido alguém querido nesta tragédia que assolou esta terra tão alegre, tão cheia de sonhos, de planos, de ambições, por que não dizer, lar temporário de "adultescentes". Estou de LUTO pelas vidas que se perderam na densa fumaça negra que ainda paira sobre o céu azul do meu Rio Grande. Minhas lentes que sempre registraram belezas, alegrias, conquistas, A VIDA, registraram, ontem, a dor, o desespero, angustia a MORTE, ..., não só de cidadãos, mas de jovens ambiciosos pelo conhecimento que iniciavam suas carreiras profissionais, suas vidas propriamente ditas e de seus tão amorosos entes. Eram "ADULTESCESNTES", poxa!!!!
As imagens que registrei decidi não mantê-las guardadas , não que elas devam ser esquecidas, NÃO, mas agora não é mais hora de expor estas pessoas que de certa forma morreram junto com seus filhos, irmãos, sobrinhos, primos, tios, avós... Esta é a ordem inversa das coisas, não deveríamos ter que sepultar sonhos, sepultar filhos e pessoas mais jovens que nós. Está errado, muito errado!!!
TELEFONES QUE TOCAM, é uma alusão feita ao modo com que muitos familiares conseguiram encontrar os seus em meio a tantos corpos estendidos, a cada ligação, segundo relatos, era mais uma família em desespero ou que soltava um suspiro de alívio, mesmo que angustiado, pois ainda existiam feridos que lutavam por suas vidas em hospitais.
As imagens eu apaguei do meu cartão de memória, mas com certeza vou levar dentro da minha almas as lágrimas que vi correrem dos olhos dos que procuravam por seus parentes.
Declaro que foi perturbador estreiar em uma seara que sempre me fascinou, o fotojornalismo, talvez tenha começado da pior maneira possível, mas aprendi, aprendi muito mais sobre amor, solidariedade, companheirismo, dor e sofrimento.
CARPE DIEM. AMEM, RIAM, CONQUISTEM, SEJAM CONQUISTADOS, ENTREGUEM-SE À VIDA, ELA É ÚNICA E FRÁGIL, MUITO FRÁGIL. SEJAM INTENSOS, MUITO INTENSOS!!!

FORÇA E FÉ AOS QUE FICARAM E PAZ PARA OS QUE PARTIRAM, HOJE, APESAR DA NOSSA CONSTERNAÇÃO E PROFUNDA TRISTEZA, O PARAÍSO ESTÁ EM FESTA COM TANTOS "ADULTESCENTES" QUE LÁ CHEGARAM!!

MUITA FÉ A TODOS!!!!!

domingo, 6 de janeiro de 2013

Prisão e Liberdade



A prisão não são as grades, e a liberdade não é a rua; existem homens presos na rua e livres na prisão. É uma questão de consciência.
Mahatma Gandhi

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012



Alma!
Deixa eu ver sua alma
A epiderme da alma
Superfície!
Alma!
Deixa eu tocar sua alma
Com a superfície da palma
Da minha mão
Superfície!...

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Uma Janela Para a História


Um livro e como uma janela. Quem não o lê, é como alguém que ficou distante da janela e só pode ver uma pequena parte da paisagem

Kahlil Gibran

sábado, 22 de setembro de 2012

Fazenda Borges de Medeiros







Fazenda que pertenceu a Borges de Medeiros, ela está localizada entre os Municípios de Cachoeira do Sul e Caçapava do Sul no Rio Grande do Sul.

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

O sobrevoo




Os poemas são pássaros que chegam
não se sabe de onde e pousam
no livro que lês.
Quando fechas o livro, eles alçam vôo
como de um alçapão.
Eles não têm pouso
nem porto;
alimentam-se um instante em cada
par de mãos e partem.
E olhas, então, essas tuas mãos vazias,
no maravilhado espanto de saberes
que o alimento deles já estava em ti...
Mario Quintana

flower

"A neve e as tempestades matam as flores, mas não podem contra as sementes."
(Kahalil Gibran)

segunda-feira, 2 de julho de 2012




La vita è adesso,
Nel vecchio albergo
Della terra e ognuno in una
Stanza e in storia di mattini piú legerri e cieli
Smarginati di speranza e di silenzi da ascoltare
E ti sorprenderai a cantare ma,
Non sai perché

sábado, 2 de junho de 2012


Uma névoa de Outono o ar raro vela, (5-11-1932)

Uma névoa de Outono o ar raro vela,
Cores de meia-cor pairam no céu.
O que indistintamente se revela,
Árvores, casas, montes, nada é meu.

Sim, vejo-o, e pela vista sou seu dono.
Sim, sinto-o eu pelo coração, o como.
Mas entre mim e ver há um grande sono.
De sentir é só a janela a que eu assomo.

Amanhã, se estiver um dia igual,
Mas se for outro, porque é amanhã,
Terei outra verdade, universal,
E será como esta [...]
Fernando Pessoa